Eixo de torção: por que os fabricantes utilizam esse esquema na traseira?

O POR QUE O EIXO DE TORÇÃO É USADO NOS CARROS DE PASSEIO HOJE EM DIA.
Na ficha técnica dos carros, nós vimos sempre Mcpherson na dianteira e eixo de torção na traseira:
Caso tenha curioside sobre a suspensão McPheson ela está aqui para todos, mas enfim o primeiro carro nacional e estrear esse esquema foi o Passat em 1974, afinal ele é o único carro a usar isso na época, num mar de carros de tração traseira, só ele e o Corcel eram tração dianteira, caso queira saber aqui a história do Passat e do Corcel:
A História do Passat e por extensão Gol e Santana. e também temos a história do modelo Ford:
A História do Corcel e por extensão Del Rey e Pampa  Voltando ao nosso foco principal que é a suspensão por eixo de torção, a foto acima é de um Corsa B, ele é como um eixo rígido, só que diferente de um eixo rígido, está vendo aquela "liberação" da roda aí? então ao contrário de um eixo rígido, essa "liberação" abriga molas e amortecedores e por que os fabricantes adotam essa receita?
   Os carros de tração traseira antigamente tinham eixo rígido na traseira, os modelos de tração dianteira não tem o cardã aí e por consequência não atrapalharia o funcionamento do eixo de torção ou semi-independente, pode ver que carros que originalmente usam esse esquema, nas versões de tração integral migram para algum esquema independente, seja McPherson ou Multilink, aliás peço para não confundir eixo de torção com barra de torção que são duas coisas distintas e num post sobre alguma suspensão independente que usou barra de torção, vou falar mais á frente.
   Com a universalização da tração dianteira e universalizou o eixo de torção, com exceção de alguns modelos é claro, lógico que o Corcel é por eixo rígido, mas o por que os fabricantes preferem isso?
Por que é um sistema de fácil produção, permite bom comportamento dinâmico a um custo baixo e dentro das limitações do projeto e para o consumidor é uma suspensão conhecida e fácil de manter.
APLICAÇÃO EM VEÍCULOS DE CARGA, o ideal é um eixo rígido, um dia vamos falar sobre isso, mas a Saveiro desde a primeira geração mantém o esquema de semi - independente com eixo de torção até hoje, inclusive quando migrou para a plataforma PQ24:
A Saveiro atual ganhou a suspensão traseira do Golf IV e além dela tem duas gerações da Montana:
A Montana atual apesar da plataforma diferente, usa o mesmo esquema e lógico para carregar a tal capacidade de carga se alteram molas amortecedores para suportar o peso extra, mas mesmo assim não é tão robusto para se tipo de aplicação quanto ao velho eixo rígido, algo que tem em todas as picapes médias já que tem que carregar 1 tonelada para cima.
MEDIDAS PARA MELHORAR O COMPORTAMENTO DINÂMICO: Apesar de permitir um bom comportamento dinâmico, ainda não é tão boa como uma Multilink, então chegou-se a ter os paralelos de watt(que também podem ser adotados em eixo rígido) e isso o antigo Passat nacional também usava, algo que o Santana e o Gol jamais conheceram até mesmo, Polo ou Golf IV e a Opel usa no Astra J desde 2009 para quem não sabe o Opel Astra J é parente do nosso Cruze:
O Opel Astra J usa os paralelos de watt, assim como o Cruze americano é basicamente a mesma suspensão traseira do nosso Cruze dotada de paralelos de watt e também presente na versão americana do Cruze, a ideia inicial era construir uma Multlink, mas a GM viu que para combater Focus e Golf, ao custo de US$20 por carro, adotou o parelelo de watt e com o mesmo resultado de uma multilink.
Suspensão traseira do Astra J, a mesma suspensão do Cruze com os paralelos de watt.
Bom se agora ficou em dúvida o que era um eixo de torção ,agora está explicado sobre ele e por que dos fabricantes adotarem isso nos carros.


 

 

Comentários